PUBLICIDADE

BR 020: Greve dos caminhoneiros entra pelo 3º dia em Tauá

Postado por: Sert News

26/05/2018 às 12h30 atualizado em 26/05/2018 às 12h30

BR 020: Greve dos caminhoneiros entra pelo 3º dia em Tauá
Foto: Wirismar

A greve dos caminhoneiros em Tauá continua neste sábado, 26, completando 3 dias. O Blog do Wilrismar esteve no local do protesto nesta manhã e ouviu dos caminhoneiros a disposição de continuar o movimento por tempo indeterminado, apesar das determinações do Governo e do STF, que colocaram as forças de segurança par desbloquear as rodovias e aplicar multas.

Nesta sexta-feira, 25, os caminhoneiros colocaram bandeiras do Brasil e faixas em seus veículos pedindo intervenção militar. Durante a noite, eles realizam churrasco e forró.

Em Tauá, a manifestação acontece no KM 81 da BR 020(entrada da cidade). Automóveis tem passagem liberada a cada meia hora e os ônibus em intervalos de 1 hora.

Já as ambulâncias e veículos que conduzem enfermos e idosos passam normalmente.

Clique Aqui e assista a reportagem deste sábado, 26.

Desbloqueio e multas

Nesta sexta, 25, o presidente Michel Temer assinou decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), que autoriza o emprego das Forças Armadas em casos de situações de perturbação da ordem pública.

Já ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes concedeu nesta sexta-feira (25) uma liminar (decisão provisória) em que autorizou o uso das forças de segurança pública para o desbloqueio de rodovias ocupadas por caminhoneiros grevistas. A liminar de Moraes atende a um pedido do governo federal.

A pedido do governo, Moraes impôs multa de R$ 100 mil por hora às entidades que atuarem nas interdições de vias, além de multa de R$ 10 mil por dia para motorista que esteja obstuindo a pista.

Na ação, assinada pelo presidente Michel Temer e pela advogada-geral da União, Grace Mendonça, o governo pede que o STF considere a greve ilegal porque, apesar de ter "compromisso democrático" com a livre manifestação, não se pode inviabilizar direitos fundamentais, como a locomoção.

A Advocacia Geral da União apontou ainda risco de "caos social" em razão da falta de combustível e desabastecimento de alimentos.

Repórter Wilrismar Holanda

*Com informações do Portal G1

FONTE: Blog do Wirismar

0 Comentário (s)