PUBLICIDADE

Corrida de Jumentos anima comunidade no interior do Ceará

Para garantir que não houvesse maus tratos, não são aceitos animais com celas, esporas e nem chicotes

Postado por: Sert News

10/09/2017 às 14h55 atualizado em 10/09/2017 às 14h55

Corrida de Jumentos anima comunidade no interior do Ceará
Corrida reuniu um público de 5 mil pessoas ( FOTO: Reinaldo Jorge )

Torcidas vibrantes, respeito às tradições e, principalmente, um momento de festa para os moradores de Lages, em Maranguape, a 30 quilômetros de Fortaleza. Assim aconteceu, nesta manhã, a 16ª Corrida de Jumentos, reunindo um público estimado em 5 mil pessoas. O animal Café, montado por Douglas de Sousa foi o vencedor da primeira bateria, sendo seguido por Farofa, conduzido Lucivan Ferreira.

A corrida, que já faz parte do folclore e tradições do lugar, teve nesta edição um apoio não apenas do poder público como de comerciantes e pequenos empreendedores do município. Por toda a manhã, o distrito de Lages viveu um clima de festa, com a instalação de barracas de comidas e bebidas, no entorno da pista e, sobretudo, na pracinha principal. A animação também foi maior com apresentações de bandas de forró, que se apresentam até o fim da tarde.

No entanto, é a disputa entre os corredores e os seus jumentos que fazem com que a vibração do público atinja o auge. Com torcidas para os bichos e para os montadores, os gritos de incentivo não cessavam desde a largada até o ponto de chegada. Marcada para acontecer a partir das 9 horas, a competição começou com três horas de atraso, em vista do número de inscritos para as quatro baterias que compuseram a prova.

Para o organizador do evento, Gustavo Abreu, a iniciativa voltou a repetir o sucesso das edições anteriores, especialmente com a maior adesão de promotores e participantes. Ele explicou que há um cuidado para que não haja maus tratos aos animais e um respeito ao jumento, que apesar das ligações com as origens nordestinas, é uma espécie que tem padecido do abandono de seus proprietários. “Essa é uma prova que queremos também firmar a importância desse animal. Não é uma competição bizarra, mas que resgata o valor do jumento, que tem sido desprezado pelos seus donos e atualmente muitos vagam pelas estradas e sofrem com fome e doença”, afirmou Gustavo.

FONTE: Jornal Diário do Nordeste

0 Comentário (s)