PUBLICIDADE

Julho tem o maior número de homicídios no Ceará desde 2013

No total, foram 475 crimes violentos com óbitos. Estado já soma 2,7 mil homicídios em 2017.

Postado por: Sert News

12/08/2017 às 12h44 atualizado em 12/08/2017 às 12h44

Julho tem o maior número de homicídios no Ceará desde 2013
Reprodução

Com um total de 475 homicídios contabilizados, o mês de julho de 2017 é considerado o mais violento desde 2013. O número foi maior que o registrado no mês de junho, quando houve um total de 474 crimes violentos letais intencionais, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

As mortes em julho ocorreram principalmente em Fortaleza, com 184 casos; e na Região Metropolitana, com 135 crimes fatais. O Interior Norte registrou 91 óbitos causados por crimes, enquanto o Interior Sul teve 65 registros.

De janeiro a julho de 2017 o total de homicídios foi de 2.774. O número representa um aumento de 38,8% em relação ao mesmo período do ano passado, quando o acumulado foi de 1.998 mortes.

Número de homicídios por mês no Ceará

  2015 2016 2017
Janeiro 237 327 352
Fevereiro 431 298 269
Março 331 321 358
Abril 323 278 140
Maio 327 303 471
Junho 323 250 474
Julho 282 256 475
Agosto 355 293  
Setembro 332 226  
Outubro 342 283  
Novembro 356 300  
Dezembro 359 273  

 

Secretário 'em alerta'

 

De acordo com o atual responsável pela SSPDS, André Costa, a manutenção de altos índices de crimes violentos no Ceará são motivo de preocupação. "Estamos em alerta, mas estimulados e trabalhando muito para melhorar e reduzir o número de vítimas da violência", disse.

Costa ainda colocou mais 1.400 candidatos do último concurso da Polícia Militar devem ser convocados nesta segunda-feira (14), enquanto outros 2.800 estão atualmente em treinamento. "O governador também já anunciou que prevê chamar mais candidatos dos concursos da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros", afirmou.

 

Apreensões

 

O número de armas de fogo capturadas pela polícia durante o mês de julho foi de 601. O índice permanece similar aos dos outros meses de 2017, já que o menor registro de apreensão de armas foi em fevereiro, com 573, enquanto o maior foi em junho, com 693.

Somando-se todas as apreensões do ano, até o momento foram recuperadas 4.313 armas, um aumento de 25,2% em relação ao período de janeiro a julho de 2016, quando houve a apreensão de 3.446 objetos do tipo.

FONTE: G1 - Globo

0 Comentário (s)