PUBLICIDADE

Pelo menos 20 cidades no Ceará registram bloqueios em rodovias

No total, um mínimo de 19 cidades e 21 trechos de estradas foram impactados.

Postado por: Sert News

25/05/2018 às 16h05 atualizado em 25/05/2018 às 16h05

Pelo menos 20 cidades no Ceará registram bloqueios em rodovias
Em Maracanaú, no km 419,2 da BR-020, há interdição parcial, com congestionamento de cerca de 2 km e queima de pneus no local ( Foto: VC Repórter )

Apesar de o governo federal ter fechado um acordo com representantes da categoria na noite desta quinta-feira (24), caminhoneiros mantêm protestos pelo Ceará ao longo desta sexta-feira (25). Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), pelo menos 16 municípios do Estado tiveram bloqueios confirmados em rodovias federais, em virtude de atos contra o preço dos combustíveis. Já nas estradas estaduais, o tráfego em ao menos seis trechos, incluindo a Av. Whashington Soares, em Fortaleza, de acordo com o Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual – BPRE. No total, um mínimo de  20 cidades e 22 trechos de estradas foram impactados.

Trata-se do quinto dia consecutivo de manifestações, que começaram em todo o Brasil na última segunda-feira (21).

Retomado na quarta-feira (23), o bloqueio no quilômetro (km) 18 da BR-116, no município de Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), segue acontecendo ao longo desta manhã. No local, caminhões ocupam ambos os sentidos do acostamento e bloqueiam a passagem de veículos de carga. Conforme a PRF, o trânsito está fluindo com apenas uma faixa liberada, mas permanece lento e o congestionamento já está em 2km. 

> Impasse afeta diversos setores da economia e ameaça abastecimento no Ceará

Ainda conforme a Polícia Rodoviária Federal, a maior manifestação registrada no Ceará ocorre no km 70 da BR-116, no município de Chorozinho, onde aproximadamente 800 caminhões ocupam 6 km do acostamento, bloqueando totalmente o trânsito de veículos de carga. Outros atos também ocorrem em várias regiões do Estado, de Norte a Sul. Nesta sexta-feira, a PRF registrou, ainda, o início de uma nova interdição no Anel Viário de Maracanaú, entre a rotatória da Ceasa e o Posto Pioneiro. Equipes estão em deslocamento para confirmação.

Confira todos os bloqueios confirmados no Ceará:

Estradas federais

1 - Eusébio: BR-116, km 18, nos dois sentidos. A rodovia se encontra parcialmente interditada por caminhoneiros. Uma faixa liberada para o trânsito dos demais veículos. Trânsito lento, congestionamento de 2km.

2 - Chorozinho: BR-116, km 70. Há aproximadamente 800 caminhões ocupando 6 km de acostamento, em ambos os sentidos. Os manifestantes estão bloqueando somente veículos de carga. Não há congestionamento, apenas lentidão no trânsito. 

3 - Russas: BR-116, km 168. Cerca de 8 caminhões ocupam o acostamento da rodovia, bloqueando passagem de veículos de carga.

4 - Tabuleiro do Norte: BR-116, km 215. Interdição parcial, onde uma fila de caminhões ocupam o acostamento e o Posto Cachoeira III. A manifestação está bloqueando apenas passagem de veículos de carga.

5 - Alto Santo: BR-116, km 250. Ocorre uma interdição parcial, onde uma fila de caminhões ocupam o acostamento. A manifestação está bloqueando apenas passagem de veículos de carga.

6 - Penaforte: BR- 116, km 545. Ocorre uma interdição parcial, sem previsão de liberação, com cerca de 200 caminhões. Trânsito liberado para todos os tipos de veículos, exceto os de carga.

7 - Tianguá: BR-222, km 334. Ocorre uma interdição parcial com cerca de 100 caminhões no acostamento em ambos os sentidos.

8 - Aracati: BR-304, km 47. Interdição parcial, onde uma fila de caminhões ocupam o acostamento. A manifestação está bloqueando apenas passagem de veículos de carga. 

9 - Canindé: BR-020, km 308. Interdição parcial, onde uma fila de caminhões ocupam o acostamento. A manifestação está bloqueando apenas passagem de veículos de carga, liberando para automóveis e ambulância.

10 - Sobral: BR -222, km 249. Interdição parcial. A manifestação está bloqueando apenas passagem de veículos de carga, com queima de pneus e desvio pelo acostamento para automóveis, ônibus e ambulância.

11 - Brejo Santo: BR-116, km 500. Ocorre uma interdição parcial, sem previsão de liberação. A manifestação está bloqueando, com pneus, apenas passagem de veículos de carga, liberando para automóveis, ônibus e ambulância.

12 - Tauá: BR-020, km 84. Interdição parcial com poucos caminhões, que reivindicam redução do preço do óleo diesel. Bloqueio apenas para de veículos de carga, liberado para automóveis, ônibus e ambulância. 

13 - Caucaia: BR-222, km 05. Ocorre uma interdição total no sentido Fortaleza, com desvio pelo bairro Potira.

14 - Maracanaú: BR-020, km 419,2. Interdição parcial, com congestionamento de cerca de 2 km, sem previsão de liberação. Queima de pneus no local.

15 - Fortaleza: BR-116, km 3. Interdição parcioal no sentido sertão-praia. Duas das três faixas ficaram liberadas, mas engarrafamento chegou a 5 quilômetros. Esta interdição já foi encerrada.

16 - Pacajus: BR-116, km 42. Há uma interdição parcial no local, feita por cerca de 30 pessoas.

Estradas estaduais

casdc1 - Baturité: CE-060, km 74 com  CE-356, km 31 (trevo de Baturité).

2 - Antônio Diogo - distrito de Redenção: CE-060, km 62.

3 - Redenção: CE-060, km 47

4 - Acarape: CE-060, km 41

5 - Guaraciaba do Norte: CE-187, km 205.

6 - Fortaleza: CE-403, km 01 (Av. Washington Soares, trecho entre Viaduto do Palácio Iracema e a Av. Rogaciano Leite)

Na imagem, a Av. Washington Soares engarrafada com protesto, Foto: Saulo Roberto

Em nota o BPRE informou ter realizado "um plano de contingência para minimizar os transtornos causados por essas ocupações que porventura ocorram ou venham a ocorrer nas nossas Rodovias Estaduais".

Reivindicações 

Os atos reivindicam a redução no preço dos combustíveis, que passaram por uma série de aumentos nas últimas semanas. Nesta quarta-feira (23), inclusive, os postos da Capital voltaram a elevar os valores cobrados pelo litro do diesel e da gasolina, que atingiu R$ 4,89.

Conforme a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), as manifestações devem continuar em todo o País, apesar de o governo federal ter acertado a redução da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) que incide sobre o preço do diesel. Na noite desta quarta-feira, a Câmara dos Deputados também aprovou uma proposta que deve zerar, até o fim deste ano, a PIS/Cofins que incide sobre o diesel.

Conforme o presidente da Abcam, que organiza o movimento da categoria, José da Fonseca Lopes, as medidas são positivas, mas ainda insuficientes para acabar com a paralisação nacional.

FONTE: Jornal Diário do Nordeste

0 Comentário (s)