Entre os temas, educação, cultura, turismo, economia e meio ambiente


A III Jornada para o Desenvolvimento Territorial e Inovação na Região Serrana, promovida em Teresópolis, nos últimos dias 1º e 3 de junho, marcou o encerramento do curso da terceira turma de Pós-graduação em Desenvolvimento Territorial da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), campus Teresópolis. A jornada teve como tema ‘Tecendo Redes para o Território que Queremos’, e aconteceu no Teatro Municipal, na Prefeitura, abordando assuntos relacionados à Educação, Gênero, Cultura, Turismo, Economia, Meio Ambiente e Políticas Públicas.

“Foi um prazer receber os professores da UERJ para a 3ª edição da Jornada para o Desenvolvimento Territorial e Inovação. É sempre importante debater políticas públicas para a Educação, questões de Gênero, Cultura, Turismo e Economia. Parabéns a todos os formandos!”, frisou o Prefeito Vinicius Claussen.

A abertura do evento contou com a presença do secretário de Ciência e Tecnologia, Vinicius Oberg. “A Jornada mostrou a consolidação do Curso de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial da UERJ, que vai para sua quarta turma. Seguimos apoiando e fomentando o fortalecimento do Ensino Superior em Teresópolis, seja através dos convênios vigentes ou pela Lei de Inovação”, enfatizou Vinicius Oberg.

Em seguida, a aluna Gabriela Monteiro apresentou um painel sobre a moeda social de Maricá; ‘Planejamento Territorial Sustentável para População de Baixa Renda’ foi o tema do estudante Paulo Peixoto; Richard Selva apresentou ‘O Impacto das Políticas Públicas de Incentivo Fiscal no Desenvolvimento Territorial’; e Izaque Rômulo abordou sobre o programa ‘Minha Casa, Minha Vida’. A primeira rodada de discussões teve como debatedores Vitor de Pieri, professor adjunto do Instituto de Geografia da UERJ, e Tatiana Calandrino, doutora em Antropologia pela UFF e pesquisadora.

Na discussão sobre temas locais, a observação de aves em Teresópolis foi o assunto da formanda Jéssica Rodrigues e o avanço do desenvolvimento territorial na região da Granja Guarani de Fábio Calixto. Essa parte teve como debatedores Thiago Pereira e Clara Lemos, professores adjuntos do Instituto de Geografia da UERJ.

No sábado, 3, a programação seguiu com debates com especialistas de diversas áreas. O Lar Tia Anastácia foi o tema de Celso Crisóstomo; Rafael Corrêa falou sobre ‘O Território da História: a interdisciplinaridade como prática docente’; Percepções sobre desenvolvimento territorial relacionado à Pedagogia Waldorf: Escola M. Cecília Meireles’ foi abordado por Maurício d´Árêde. Os debatedores foram Marcela Padilha, professora doutora do Curso de Turismo e da Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial da UERJ, e Jorge Nascimento, licenciado pelo Instituto de Biologia da UFRJ e Mestre em Zoologia pelo Museu Nacional e professor convidado da UERJ.

Os painéis seguintes foram: ‘Cidade e ocupação territorial através da cultura na região da pequena África’, com Tábata Luz; ‘Cartografia do Axé’, com Robson de Souza; e ‘Estudo sobre educação patrimonial e identidade territorial’, com Marina Bravo. Nesta etapa, os debatedores foram Gabriel Jardim e Clara Lemos, professores adjuntos do Instituto de Geografia da UERJ.

Na parte da tarde, representatividade, articulação e participação das mulheres no desenvolvimento de Teresópolis foi o tema de Nísia Teles; Cartografia do município de Teresópolis, com Camilla Bonelli; questões de gênero, com Isabela Deiss; e Toponímia e Gênero com Marcella Malheiros. Tatiana Calandrino e Gabriel Jardim foram os debatedores.

O evento contou com o apoio da Prefeitura de Teresópolis, por meio da Secretaria M. de Ciência e Tecnologia, através do programa ‘InovaTerê’ e da Lei Municipal de Inovação; do ICMBio, através do Parnaso (Parque Nacional Serra dos Órgãos) e do programa Voluntariado ICMBio; Rede Brasilidade Solidária e da Casa Agridoce.

Fotos: Bruno Nepomuceno

Fonte: Estácio