Saiba como acionar o serviço de checagem de informações do Senado

Ester, responsável pelo Senado Verifica: serviço recebe uma média de dez consultas diáris Rodrigo Viana/Senado Federal

Ester, responsável pelo Senado Verifica: serviço recebe uma média de dez consultas diáris Rodrigo Viana/Senado Federal

Em julho de 2020, a Mesa Diretora fez um pedido à Secretaria de Comunicação para estabelecer um serviço de checagem de informações voltado para a população. Após estudos e discussões internas, além de colaboração entre diferentes setores, foi lançado o Serviço Senado Verifica. Desde então, foram realizadas 1.333 checagens, dentro de 40 grandes temas, sendo 20 deles publicados na página do Serviço. As publicações acumulam mais de 1,8 milhão de visualizações.

Para solicitar uma verificação, entre em contato pelo email senadoverifica@senado.leg.br, pelo 0800 061 2211 (ligação gratuita de todo o Brasil, por telefone fixo e celular) ou pelo WhatsApp: +55 61 98190-0601. Outra opção é utilizar o Formulário de mensagem da Ouvidoria do Senado. Com uma política de uso focada na transparência, o Senado Verifica não aceita pedidos anônimos e preza pelo rápido retorno das demandas.

Processo criterioso

A jornalista Ester Monteiro é responsável pelo Senado Verifica – Fato ou Fake?Ela lembra que a preocupação com o problema não é nova.

— Nós já desenvolvíamos campanhas de combate à desinformação nos diferentes canais de comunicação do Senado, mas entendemos que era necessário um novo passo para combater os crescentes casos de fake news — explica.

Quando recebemos um pedido de verificação, é iniciado um processo de triagem para entender qual — ou quais — setores do Senado precisam ser consultados para se obter uma resposta correta e consistente.

— Trabalhamos em parceria principalmente com a Ouvidoria, que nos ajuda muito com encaminhamentos e atendimento ao público — comenta Ester ao lembrar que, em 2023, foi executado um treinamento para 40 atendentes da Ouvidoria para capacitá-los a lidar com as fake news.

Além disso, em agosto do ano passado foi estabelecido o atendimento por WhatsApp, o que aumentou exponencialmente as solicitações. Em 2022, foram 94, e, em 2023, esse número subiu para 886 pedidos.

— Hoje, recebemos uma média de 10 pedidos diários. Quando chegam solicitações que estão ligadas a outras instâncias, fazemos o encaminhamento para o órgão responsável — explica.

A Casa também possui um protocolo permanente do Programa de Enfrentamento à Desinformação junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para combater conteúdo falso.

Com as eleições municipais previstas para outubro deste ano, a perspectiva é de aumento de fake news relacionadas ao pleito. Ester esclarece que todas as dúvidas levantadas sobre fake news ou deep fake nas eleições municipais serão encaminhadas para o TSE.

Fonte: Agência Senado

Descubra mais sobre SertNews

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading